Vazio



Abracei o mundo.
No caminho tortuoso tropecei, caí...
Levantei e tornei a cair,
mas segui.
Coloquei na mochila meus sonhos
Num diário os planos...
No peito uma saudade do que eu jamais tive.
Um choro baixinho, comprimido.
Perdida no melhor lugar do mundo,
Na multidão...
Observando as crianças na rua,
As mulheres de salto imponentes pela avenida,
Os olhares foscos de casais que não se amam
E o sangue que corre manso nos estudantes
O sorriso, esse que aparece de vez em quando...
Provando que a esperança menina ainda existe, menino!
Colhi os meus próprios frutos
Quer saber???
SEGUIREI!!!!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments

5 comentários:

Juliana Marchioretto disse...

siga sempree!
não importa quantos tombos venham..

bjo

Paulo Fernando disse...

Siga sim! É bom olhar para frente, mesmo quando estamos olhando para trás... Gostei do poema...

Bjos!

o alquimista disse...

Manhã submersa de palavras
Lava ardente nevoeiro
Uma nuvem que ameaça
Transfomar-se em aguaceiro...


A magia da atlântida dança no sul da ilha, saudade,
Transforma azul hortência
Em diamante de luz, que em meu peito arde


Mágico beijo

Paulo Fernando disse...

Vim aqui esperando por um novo texto, mas tudo continua num "vazio"... rsrs

bjos novamente!

Juliana Marchioretto disse...

oi,
não recebi nenhum e-mail seu...

bjo